Cientistas e professores baianos lançam manifesto em defesa da ciência

A manifestação ocorreu antes do início do cortejo pela Independência da Bahia.

Dezenas de pesquisadores, professores e estudantes ligados à ciência e a tecnologia lançaram na manhã da última segunda-feira, durante os festejos pelo Dois de Julho, um manifesto em defesa de um maior apoio para as atividades científicas no país, particularmente na Bahia. A manifestação ocorreu antes do início do cortejo pela Independência da Bahia e reuniu representantes das principais instituições acadêmicas e de pesquisa da Bahia, a exemplo da UFBA, Uneb, Uesc, UFRB, Uesb, Uesf, Ufob, Instituto Fiocruz/BA, além da Academia Brasileira de Ciências, Academia de Letras da Bahia, Academia de Medicina da Bahia e Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência.

O manifesto, liderado pela Academia de Ciências da Bahia, enfatiza a situação de total desestímulo às atividades cientificas no país e conclui com um alerta: " Nosso objetivo é, além de despertar na consciência da população o valor da ciência, da educação e da cultura, sobretudo alertar os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário sobre a necessidade de dar um fim à lamentável situação de penúria orçamentaria que aflige esses setores em nosso país. Investir neles hoje é nossa única garantia de futuro!".

A falta de apoio à ciência no Brasil chegou a uma situação dramática, como argumenta o presidente da Academia de Ciências da Bahia, Jailson Andrade, observando que a mobilização da sociedade se faz necessária como forma de chamar a atenção para o problema, levando o governo a recompor o orçamento reduzido. 

A participação da Academia de Ciências da Bahia e entidades apoiadoras a favor da ciência ocorreu às 7 horas do dia 2 de Julho, no Largo da Lapinha, próximo ao Coreto, exatamente onde tradicionalmente ocorre a concentração para a saída do desfile. Neste momento foi lançado o manifesto “ Em Defesa da Ciência”, assinado por diversas instituições. O objetivo, segundo  Jailson Andrade, foi ressaltar a importância da ciência para a sociedade e pontuar que “ trata-se de uma atividade complexa e que não pode ser descontinuada. Requer, entre outros fatores, planejamento e financiamento adequados e de longo prazo”. Segundo ele, há pelo menos cinco anos o setor vem sofrendo cortes orçamentários significativos e que comprometem o seu futuro no Brasil.

Confira abaixo o manifesto na íntegra:

Ciência, Educação e Cultura são os fundamentos sobre os quais repousam as sociedades humanas. São eles que permitem, estimulam e consolidam a produção e a acumulação do conhecimento necessário ao desenvolvimento integral das nações. Como tais, constituem-se de atividades complexas e continuadas, que necessitam de infraestrutura, planejamento e financiamento continuados e de longo prazo. Os Países desenvolvidos, assim o são porque investem fortemente em ciência, educação e cultura, único caminho para a prosperidade econômica e social sustentável, para uma vida digna, equânime e saudável de seus cidadãos. 

É este também o caminho que devem seguir os países em desenvolvimento: planejar, financiar, apoiar continuamente as instituições que se dedicam ao ensino, em todos os níveis e à pesquisa científica e cultural. Sem isto não haverá geração de riqueza nem melhoria na qualidade de vida. E sobretudo não se formará um patrimônio de conhecimento consolidado, próprio do país, que além de servir à construção do seu presente determinará a projeção do nosso futuro. No Brasil, contudo, há anos a ciência, a educação e a cultura vêm sendo progressivamente desamparadas pelos governos, sofrendo cortes sucessivos nos orçamentos destinados a suas atividades. 

A tal ponto isto vem ocorrendo que se chegou hoje a uma situação de penúria generalizada! Se por um lado, a maioria dos governos estaduais não cumpre os compromissos com o investimento em ciência e tecnologia, educação e cultura, por outro o governo federal, além de não cumprir os repasses para essas finalidades tem feito arrasadores cortes orçamentários nesses setores. Dois de Julho é uma data heroica para a Bahia e o Brasil e simboliza a verdadeira Independência do nosso país. Imbuídos deste sentimento patriótico, a Academia de Ciências da Bahia, juntamente com todas as instituições de ensino superior públicas do Estado e as Academias de Letras, de Medicina e de Medicina Veterinária da Bahia decidiram-se por manifestarem-se publicamente nesta data. Nosso objetivo é, além de despertar na consciência da população o valor da ciência, da educação e da cultura, sobretudo alertar os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário sobre a necessidade de dar um fim à lamentável situação de penúria orçamentaria que aflige esses setores em nosso país. Investir neles hoje é nossa única garantia de futuro.

ASCOM - Assessoria de Comunicação da Academia de Ciências da Bahia



Publicado: Sexta, 13 de Julho de 2018.

VOLTAR