Plano de pesquisa da UFBA é aprovado pela Capes

A UFBA concorreu com um total de 165 projetos, agrupados em 19 macrotemáticas interdisciplinares

A Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) incluiu a UFBA no grupo de 36 instituições de ensino superior brasileiras habilitadas a receber recursos do Programa Interinstitucional de Internacionalização (Capes PrInt) que, a partir de novembro, estabelecerá novos critérios para a liberação e gestão de recursos para internacionalização da pesquisa universitária.


A UFBA havia ficado de fora da lista preliminar, divulgada em agosto pela agência federal de fomento, junto com outras instituições de grande relevância nacional, como Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), e, por isso, recorreu da decisão. "Nosso recurso teve força, foi consistente. A inclusão no Capes PrInt é um grande ganho para a Universidade", afirma o pró-reitor de Pesquisa, Criação e Inovação, Thierry Corrêa Lobão. A Capes ainda não divulgou os valores que cada uma das 36 instituições receberá.


A proposta da UFBA para garantir um lugar no restrito grupo teve como pontos fortes uma grande quantidade de projetos, uma ampla variedade de temáticas e áreas de conhecimento abrangida, a lógica interdisciplinar utilizada para agrupá-los, a adesão maciça dos mais bem avaliados programas de pós-graduação, e a forte tradição científica da Universidade. A UFBA concorreu ao edital com um total de 165 projetos, agrupados em 19 macrotemáticas interdisciplinares, distribuídas em 5 grandes eixos de conhecimento.


Todos os programas de pós da UFBA avaliados pela agência com nota igual ou superior a 4 (numa escala de 3 a 7) enviaram propostas. Contou também o bom desempenho recente da Universidade nos principais indicadores quantitativos e qualitativos de produção científica, em geral ocupando posições que oscilam entre o 5º e o 15º lugar – o que ratifica a tradição de pesquisa que marca a UFBA desde a sua fundação.


Fonte: UFBA





Publicado: Quarta, 10 de Outubro de 2018.

VOLTAR